Portal Paranormal
O Tempo
Últimos assuntos
» A caixa de Pandora
Qua Maio 28, 2014 9:59 pm por Seth

» Adivinhando o pensamento
Qua Maio 14, 2014 10:50 am por sofiagov

» O modelo helicoidal - nosso sistema solar é um vórtice
Dom Maio 11, 2014 3:07 pm por Seth

» A casa mais estranha de Portugal (em imagens)
Sex Maio 02, 2014 10:50 pm por Aninhas_hk

» Sr. Roubado - Odivelas
Qua Abr 30, 2014 10:06 pm por Seth

» O crime de François Bertillon
Sab Abr 19, 2014 5:46 am por Seth

» Somos grandes ?? Vamos comparar !!
Qui Abr 17, 2014 4:20 pm por Seth

» Mãe vendendo seus filhos..
Seg Abr 14, 2014 7:11 pm por Aninhas_hk

» Biblioteca para gigantes ?
Qua Abr 09, 2014 8:09 pm por Seth

» O Sol - Ciclo de vida de uma Estrela
Dom Abr 06, 2014 2:01 pm por Seth

» A última entrevista de Charlie Noonan
Ter Mar 25, 2014 7:35 pm por Seth

» O Pavão e o seu simbolismo
Ter Mar 25, 2014 3:07 pm por Seth

» As três Graças
Ter Mar 25, 2014 2:57 pm por Seth

» Complexo de Édipo ou a Tragédia Grega
Ter Mar 25, 2014 2:52 pm por Seth

» 9 factos que vão mexer com a sua noção de tempo
Seg Mar 24, 2014 3:03 pm por Seth

» O universo segundo a Mitologia Nórdica.
Dom Mar 23, 2014 11:37 pm por Seth

» Porta do inferno
Dom Mar 23, 2014 11:08 pm por Seth

» O som do Planeta
Qui Mar 20, 2014 10:26 pm por Seth

» Pan Gu
Ter Mar 18, 2014 10:36 pm por Seth

» Antiga cidade submersa é encontrada no Triângulo das Bermudas
Ter Mar 18, 2014 5:35 pm por Seth

» 6 visões sobre o núcleo da Terra: Religião vs Ciência
Ter Mar 18, 2014 5:22 pm por Seth

» 15 Curiosidades Sobre Religião
Ter Mar 18, 2014 5:12 pm por Seth

» O menino da fazenda de Hertfordshire
Qua Mar 12, 2014 4:07 pm por Seth

» O bebé de Queensland, Austrália
Qua Mar 12, 2014 4:03 pm por Seth

» O fantasma do castelo Raynham Hall
Qua Mar 12, 2014 4:01 pm por Seth

» Espiríto na "Toys ´R´ Us "
Qua Mar 12, 2014 3:54 pm por Seth

» O fantasma do banco de trás
Qua Mar 12, 2014 3:36 pm por Seth

» A escadaria de túlipa
Qua Mar 12, 2014 3:32 pm por Seth

» Imagem em Rotsand na Suiça
Seg Mar 10, 2014 6:39 am por Seth

» Hermes Trismegisto
Sab Mar 01, 2014 3:04 pm por Seth

PT Avisos
Fases da Lua
Visitantes
web counter free

6 visões sobre o núcleo da Terra: Religião vs Ciência

Ir em baixo

6 visões sobre o núcleo da Terra: Religião vs Ciência

Mensagem por Seth em Ter Mar 18, 2014 5:22 pm

Um dia, é possível que os seres humanos possam se aventurar livremente em nossos planetas vizinhos, e o uso de poderosos telescópios ainda vai nos ensinar muito sobre as estrelas. Quem sabe, num futuro próximo também possamos explorar cada centímetro da profundidade do oceano, assim como as florestas mais impenetráveis.

Tudo isso parece possível, ou pelo menos imaginável. Mas, provavelmente, nunca faremos uma viagem ao núcleo da Terra. Fortes brocas podem penetrar somente 12 quilómetros de profundidade – apenas 0,2% do raio da Terra – antes de encontrar um calor tão intenso que as derretem. A extrema temperatura e pressão do interior de nosso planeta o mantêm definitivamente fora de nosso alcance.

Talvez seja por essa razão que o núcleo da Terra sempre nos fascinou. Tanto que ele desempenha um papel central em muitas religiões tradicionais e cosmologias. Mais recentemente, a ciência começou a sondar o interior terrestre indirectamente, melhorando nossa compreensão gradualmente.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Abismo do inferno

Talvez a visão mais tradicional sobre o centro da Terra seja a que o retrata como um grande lago de fogo onde as pessoas más passam toda a eternidade, sim o inferno. Muitas vezes a vida após a morte é retratada como um submundo quente muito parecido com o que imaginamos ser o núcleo terrestre.

Não é nada surpreendente que tantas religiões baseadas nessa teoria tenham dado certo: desde culturas antigas, erupções vulcânicas dão horríveis vislumbres do inferno que existiria abaixo da Terra.

O “fogo e enxofre” é uma metáfora frequente para o inferno que encontramos na Bíblia cristã – é um tipo de rocha geralmente encontrado nas bordas dos vulcões.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Tartarugas ou elefantes?

Muitas culturas do leste asiático e americanas nativas não vêem o interior da Terra como um lugar infernal. Em vez disso, eles acreditam que lá reside uma tartaruga gigante, chamada de “tartaruga do mundo”.

Ela apoiaria a Terra (normalmente concebida como de formato plano ou em forma de cúpula, ao invés de esférica) em sua parte traseira. Existem variações do mito, hindus substituem a tartaruga por um elefante, enquanto alguns historiadores, misturando as duas descrições, narram uma cosmologia em que o mundo repousa nas costas de um elefante, que por sua vez está sobre uma tartaruga.

E por que uma tartaruga ? Possivelmente porque, além de ser um animal adequado a curva terrestre, tem características como longevidade, perseverança e firmeza.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Núcleo dourado

Uma teoria actual, mas não menos curiosa, Bernard Wood, um geólogo da Universidade de Oxford, calcula que existam 1,6 quadrilhões de toneladas de ouro no núcleo da Terra – o suficiente para cobrir a superfície do planeta com uma camada de 1,5 metros.

Ele também acredita que há seis vezes essa quantidade de platina – outro metal precioso – assim como níquel, nióbio e outros elementos ferrosos.

Wood formulou essa hipótese depois de analisar o teor de metais de meteoritos – pequenos corpos que caíram na Terra no início do sistema solar. Ele descobriu que esses meteoritos têm muito mais ouro, platina e elementos distribuídos ao longo deles do que o que existe na superfície terrestre.

E onde teriam ido parar esses elementos? O geólogo deduz que o ferro do núcleo da Terra atraiu esses elementos para dentro do planeta durante sua formação.

Os cientistas, entretanto, afirmam que 1,6 quadrilhões de toneladas de ouro é uma quantidade absurda, e que os átomos de ouro representam apenas uma milionésima parte do total de átomos do núcleo.

Os meteoritos, assim como a massa e a densidade da Terra (deduzida a partir de como ela influencia as órbitas da lua e dos outros planetas) levam os cientistas a acreditar que a maior parte do núcleo é composta de ferro e níquel.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Camadas

Os estrondos que acontecem na crosta terrestre podem sussurrar os segredos que se escondem abaixo dela. Quando há um terremoto, as ondas sísmicas emitidas são ricocheteadas através da Terra, sendo redirecionadas e refletidas nos limites entre a crosta, manto, núcleo externo e interno. Depois, isso fica gravado em sismogramas em todo o mundo e os cientistas refazem os passos das ondas para mapear o interior de nosso planeta.

E o que existe lá embaixo?

É como uma camada de cebola, cada uma delas com uma característica. No centro, há uma esfera sólida de ferro e níquel. Embora o centro da Terra deva ter uma temperatura de cerca de 5,5 mil graus Celsius – tão quente quanto a superfície do sol – ele também tem uma pressão extremamente alta, mais de 3 milhões de vezes maior do que a atmosfera da superfície. Essa pressão eleva a temperatura de fusão de metais, de modo que eles são sólidos, mesmo com tão alta temperatura.


Cerca de 1,2 mil quilómetros a partir do centro, a menor pressão possibilita o derretimento de ferro e níquel. De acordo com o geólogo David Stevenson, um dos maiores especialistas sobre o núcleo da Terra, essa camada externa líquida representa cerca de 95% do volume total do núcleo.

O manto começa cerca de 3,5 mil quilómetros a partir do centro. Essa rocha derretida compõe a camada mais espessa da Terra, e constitui cerca de 84% do volume total do planeta. O manto é revestido por uma fina crosta, nossa velha e conhecida casa.


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Bola de cristal

Evidências sugerem que o núcleo interno da Terra não é homogéneo. Os cientistas notaram que as ondas sísmicas atravessam o núcleo mais rapidamente quando viajam de um pólo ao outro do que quando fazem isso transversalmente, de um ponto sobre o equador até o ponto oposto.

A maioria dos especialistas acredita que isso acontece porque o núcleo é composto de cristais anisotrópicos que estão alinhados com os pólos magnéticos da Terra. Existem dois tipos de cristais no núcleo, que coexistem possivelmente uns contra os outros no centro, onde a pressão é maior.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Floresta proibida

Kei Hirose, um geólogo japonês, recentemente conduziu uma experiência no qual as condições do centro da Terra foram reproduzidas, numa escala extremamente pequena de laboratório.

Com base no que aconteceu na experiência – em que elementos foram expostos a temperaturas de mais de 4,5 mil graus Celsius e 3 milhões de vezes a pressão atmosférica – ele deduziu que os cristais no centro da Terra podem medir até 10 quilómetros de altura. Por isso, Hirose descreve o núcleo como uma “floresta de cristal”.


Fonte:HypeScience
avatar
Seth
Admin

Mensagens : 425
Data de inscrição : 15/11/2013
Localização : Cascais Lisboa

http://portalparanormal.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum